quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A PSICOGÊNESE DA ESCRITA DE EMÍLIA FERREIRO



Emília Beatriz Maria Ferreiro Schavi
Nascimento: 1936 - Argentina
Psicóloga e pesquisadora radicada no México, fez doutorado na Universidade de Genebra, sob a orientação de Jean Piaget.






"... A minha contribuição foi encontrar uma explicação segundo a qual, por trás da mão que pega o lápis, dos olhos que olham, dos ouvidos que escutam, há uma criança que pensa."
(Emília Ferreiro)



" A invenção da escrita foi um processo histórico de construção de um sistema de representação, não um processo de codificação."

(Emília Ferreiro)

Como se dá o processo cognitivo de construção da escrita?
Para a Teoria da Psicogênese, toda criança passa por níveis estruturais da linguagem escrita até que se aproprie da complexidade do sistema alfabético. São eles: o pré-silábico, o silábico, que se divide em silábico-alfabético, e o alfabético Tais níveis são caracterizados por esquemas conceituais que não são simples reproduções das informações recebidas do meio, ao contrário, são processos construtivos onde a criança leva em conta parte da informação recebida e introduz sempre algo subjetivo. É importante salientar que a passagem de um nível para o outro é gradual e depende muito das intervenções feitas pelo/a professor/a



1º período - Garatuja: a criança ainda não estabeleceu a funça da escrita ela se representa através de riscos e rabiscos.



2º período - Pré-silábico: começa a reconhecer a função da escrita,  no entanto se utiliza de letras aleatórias e números, muitas das vezes se utiliza das letras do próprio nome, não estabelece quantidade de letras e nem valor.
3º período - Silábico (Hipótese silábica):
  • sem valor sonoro, estabelece a função da escrita e das sílabas porém não agrega valores a elas se apropriando assim de letras distintas ex: para escrever bola, ela pode utilizar letras que não fazem sentido para a palavra como: rt , a criança sabe que a palavra é constituida de duas sílabas no entanto ainda não as representa corretamente.

  • com valor sonoro, a criança reconhece a função da escrita e estabele uma conexão com o som das letras por exemplo para escrever bola ela utiliza  oa, ou ainda bl,ela registra os sons que ela conhece sejam eles da vogal ou da consoante. A criança escreve vogais e consoantes e algumas sílabas, mas ainda existe uma troca ou falta letras, porém já tem o valor sonoro.

4º período - Silábico-Alfabético (Fonetização da escrita): mistura a lógica da fase anterior com algumas sílabas.

5º período - Alfabético: Compreensão de que cada unidade menor da palavra corresponde a um valor sonoro menor do que uma Compreensão sílaba, restando dominar convenções ortográficas.Domina enfim, o valor das letras e sílabas.

fonte: revista Nova escola, edição especial Alfabetização

Nenhum comentário:

Postar um comentário